Pedro Pereira @ 00:00

Dom, 24/07/11

Rock do Norte: a partir daqui já está quase tudo dito!


Matar ou Morrer é o nome do single do álbum (homónimo) que vai ser lançado em Setembro pelos Dogma. Isto é a euforia do Verão descrita na perfeição! E a angústia pós-euforia.

Não posso adiantar nada sobre o álbum que aí vem, mas acho que pode ser um marco da música nacional. Pelo menos merece-o.


O amor não existe em estado puro, mas as cabeças encostadas na dor sugerem uma réstia de cumplicidade.


Bandas:


Pedro Pereira @ 00:00

Dom, 06/03/11

Este Segredo merece ser partilhado. Partilhado outra vez. E outra.

É missão impossível ficar indiferente à mensagem e à força desta música.

Os Dogma lançam o novo álbum este ano e a impaciência aumenta. Só podemos esperar algo muito bom.

 

Lê-se num comentário a este vídeo:

Acredito que esta música é apreciada pela sua mediatização, e que a maior parte do rebanho não compreende a sua profundidade. Porém, saúdo a banda que tem um EP fabuloso com imensa preponderância histórica e humanista.

Agora anseio por um álbum deste ilustre grupo. Aliás, deve ser o grupo recente com mais potencial por estes campos lusitanos.


Bandas:


Pedro Pereira @ 00:00

Dom, 04/07/10

Clica para saberes mais sobre o Festival Meda+


 

Cá estamos nós outra vez a especular sobre a origem do mundo
É tudo tão vago, mas sempre alimenta o ego um diálogo profundo,
E se pra quem acredita

Não é fácil a vida

Tentar seguir as regras...

Pra mim que não acredito na força divina, não sei bem onde me agarrar...

Não era suposto a vida trazer um manual de instruções?
Assim podia culpar alguém quando errasse ao tomar decisões

Mas preferi ser teimoso, não quis fazer parte do grupo
coral
Nada contra quem ama e segue seu líder por amor à
moral
Mas anda aí muito artista, bem mais vigarista, com
pele de cordeiro
E que ao domingo se faz passar por catequista, e o
povo aplaude sem pensar
Não era suposto a vida trazer um manual de instruções
Assim podia culpar alguém quando errasse ao tomar
decisões
Mas se calhar se culpasse outro ser,
Seria obrigado a deixá-lo intrometer
No mérito das minhas pequenas vitórias
Cada medalha tem seu reverso
E eu não sou ninguém pra aplicar o inverso
Meu mérito é pai de todas as minhas vitórias
E o mais difícil é ter de viver
Sem esperança de no outro mundo haver a
matriz imortal da fundamental liberdade
Cada medalha tem seu reverso
E eu não sou ninguém pra aplicar o inverso
Meu mérito é pai de todas as minhas vitórias


Bandas:


André Pereira @ 00:00

Ter, 30/03/10


Bandas:

“A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende” Arthur Schopenhauer
Pesquisar
 
Ouvir no Facebook
Arquivo
Bandas

todas as tags

subscrever feeds