Carlos Fial @ 00:00

Qui, 28/04/11

O ano passado, por alturas de Abril, postei aqui o Cantar de Emigração do grande Adriano. Este ano, também ele perene de cabimento, fica este cover mais eléctrico, de forma a realçar outras sonâncias... a raiva principalmente.

 

Este parte, aquele parte
e todos, todos se vão
Galiza ficas sem homens
que possam cortar teu pão

Tens em troca
órfãos e órfãs
tens campos de solidão
tens mães que não têm filhos
filhos que não têm pai

Coração
que tens e sofre
longas ausências mortais
viúvas de vivos mortos
que ninguém consolará

 

 

O Abraço.

 

 

 



“A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende” Arthur Schopenhauer
Pesquisar
 
Arquivo
Bandas

todas as tags