Tomás Esteves @ 00:00

Sab, 08/01/11

Com o seu tom sempre revolucionário, este grande homem exprime o seu sentimento de uma maneira única espelhando-nos sempre o seu ideal de liberdade e de igualdade, ideais de tempos remotos mas que se enquadram perfeitamente no presente. Fiquem com uma grande música do senhor José Afonso.

 

Vejam bem 
que não há só gaivotas em terra 
quando um homem se põe a pensar 
quando um homem se põe a pensar

 

Quem lá vem 
dorme à noite ao relento na areia 
dorme à noite ao relento no mar 
dorme à noite ao relento no mar

 

E se houver 
uma praça de gente madura 
e uma estátua 
e uma estátua de de febre a arder

 

Anda alguém 
pela noite de breu à procura 
e não há quem lhe queira valer 
e não há quem lhe queira valer

 

Vejam bem 
daquele homem a fraca figura 
desbravando os caminhos do pão 
desbravando os caminhos do pão

 

E se houver 
uma praça de gente madura 
ninguém vem levantá-lo do chão 
ninguém vem levantá-lo do chão

 

Vejam bem 
que não há só gaivotas em terra 
quando um homem 
quando um homem se põe a pensar

 

Quem lá vem 
dorme à noite ao relento na areia 
dorme à noite ao relento no mar 
dorme à noite ao relento no mar


Bandas:

“A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende” Arthur Schopenhauer
Pesquisar
 
Arquivo
Bandas

todas as tags